Entender os tipos de estoque é fundamental para crescer seu negócio. Seja porque seu cliente sempre encontra o que precisa, seja porque você sempre terá peças para vender.

O estoque é parte essencial do sucesso de um negócio, seja atacado, varejo, distribuidora ou indústria. No estoque ideal, não há excesso nem falta de mercadorias, mas a quantidade ideal para suprir a demanda dos consumidores — evitando que os itens fiquem indisponíveis e gerem a perda de vendas, além da frustração dos clientes.

Para isso, existem diversos tipos de estoque, que variam de acordo com o tipo de empresa, de mercadoria e até mesmo com a época do ano ou a fase de fabricação dos produtos. A seguir, conheça os principais deles e encontre a melhor opção para o seu negócio!

Estoque sazonal

Também chamado de estoque de antecipação, o estoque sazonal leva esses nomes por ser preparado com antecedência, a fim de atender o aumento da demanda em datas comemorativas. Como exemplos, é possível citar a Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças, Black Friday e Natal — tudo vai depender do tipo de negócio e qual é a sua especialidade.

Sendo assim, o estoque sazonal funciona como um reforço do estoque em datas que há um risco de falta de fornecimento de mercadorias e expectativa de mais vendas e, é claro, mais lucro.

Estoque máximo

A quantidade máxima de mercadorias no estoque, até a possibilidade de um novo pedido, é chamada de estoque máximo. Esse número de itens pode ser definido a partir do espaço disponível para armazenamento. Uma das grandes vantagens do estoque máximo é a economia, pois ele permite a compra em grande quantidade, que pode ser negociada por um valor mais baixo. 

Estoque mínimo

Também conhecido como ponto de ressuprimento, ao contrário do estoque máximo, o estoque mínimo é composto pela menor quantidade possível de mercadorias em estoque — mas sem desconsiderar a estimativa de demanda, para que não haja a falta de itens. Esse tipo de estoque também é determinado pela quantidade mínima exigida para a solicitação de compra. 

Estoque inativo 

O estoque inativo é formado por itens que não foram vendidos e, por isso, estão parados no estoque. Para evitar prejuízos, é necessário avaliar o tipo de mercadoria, bem como seu prazo de validade, avaliando se os produtos se tornaram obsoletos ou se ainda podem ser vendidos.

Nesse caso, uma boa opção é negociar a troca de itens com a indústria, substituindo-os por produtos que possuem maior procura. Outra alternativa é realizar promoções para atrair a atenção e o interesse dos consumidores.

Leia também! Exposição de produtos: 8 técnicas para melhorar suas vendas

Estoque de proteção

O estoque de proteção é um dos mais escolhidos por grandes setores, como o automobilístico. Isso porque ele tem como objetivo garantir que a matéria-prima e os produtos continuem disponíveis mesmo em situações desfavoráveis, como alta demanda do mercado, preços elevados e greves, sendo utilizado até que o abastecimento volte ao normal. Esse tipo de estoque é muito importante para não interromper a produção na indústria e evitar a falta de itens para venda.

Estoque de ciclo

O estoque de ciclo é indicado para as empresas, principalmente indústrias, que trabalham com a produção de diferentes tipos de produtos e que nem sempre conseguem produzir todos eles ao mesmo tempo. 

Para garantir que cada item esteja sempre disponível, a produção e o armazenamento são planejados para suprir a demanda mesmo quando o ciclo de fabricação está com foco em outro produto.

Estoque regulador

O estoque regulador é uma modalidade para empresas que contam com filiais. Funciona assim: uma das filiais, geralmente a que possui mais espaço físico, mantém uma maior quantidade de itens armazenados, suprindo os demais pontos caso seja necessário e garantindo o estoque de todas elas.

Leia também: 10 materiais de construção que não podem faltar na sua loja

Estoque consignado

No estoque consignado, a armazenagem de itens é mantida por terceiros. Esse tipo de estoque é indicado para situações em que há falta de espaço na própria empresa ou para ampliar os canais de venda, agilizando a distribuição.  

Esse tipo de estoque é feito a partir de um contrato entre o consignante, que cede o espaço, e o consignado, que mantém e distribui os produtos. O estoque é abastecido por fornecedores e os itens são distribuídos de acordo com a demanda do consumidor final.

Dropshipping

O dropshipping é um tipo de estoque muito utilizado por e-commerces e marketplaces, que não precisam ter acesso aos produtos, apenas funcionar como intermediários para a venda. Assim que os sites recebem as solicitações de compra online, eles encaminham para o fornecedor, que envia os produtos armazenados ao cliente. Isso permite reduzir custos com armazenamento e agilizar a entrega para o consumidor final.

Estoque em trânsito

O estoque em trânsito, também chamado de estoque de canal, nada mais é do que os itens em trânsito pela transportadora. É importante realizar seu monitoramento para analisar e controlar quanto tempo as mercadorias passam de um lugar para o outro, evitando que seja maior do que o necessário.

Como você pôde ver, existem inúmeros tipos de estoque e os mesmos itens podem passar por mais de um deles, variando de acordo com a gestão de cada empresa, da demanda dos consumidores e até mesmo do período do ano.

Agora que você já sabe quais são os tipos de estoque, conheça também os desafios da gestão de estoque.

Guia do lojista de material de construção