Os implementos agrícolas ajudam a otimizar a produção no campo. Conheça os equipamentos mais utilizados e entenda as suas funções.

Apesar da crise trazida pelo novo coronavírus, o agronegócio se manteve firme no cenário nacional, se tornando uma das principais apostas da economia brasileira para a superação da recessão. Em agosto de 2020, foi registrada a maior safra agrícola da história de todo o Brasil, com cerca de 254 milhões de toneladas de grãos colhidos.

E a expectativa é que o setor cresça ainda mais. Cálculos da FGV indicam que a atividade terá uma receita de R$ 730 bilhões neste ano, trazendo um aumento de 2,5% para o PIB nacional. Ou seja, em um momento de grandes oportunidades, os produtores rurais devem estar preparados para atender à grande demanda.

Nesse contexto, buscar formas de otimizar a produção é fundamental. E isso pode ser feito com o auxílio de implementos agrícolas, equipamentos que têm trazido grandes benefícios para a produção no campo.

Quer tornar a sua produção maior, mais rápida e rentável? Para ajudar você a encontrar as ferramentas ideais para a sua cultura, vamos apresentar os implementos agrícolas mais utilizados e as suas funções na agricultura. Mas, antes, vamos falar um pouco sobre esses equipamentos e as vantagens que eles trazem para a produção.

 O que são os implementos agrícolas

Os implementos agrícolas são equipamentos mecânicos capazes de ajudar o agricultor em todas as etapas de produção, facilitando desde a preparação do solo até o transporte das colheitas. Assim, agilizam e aumentam a eficiência de processos, otimizando a produção no campo.

Os arados, por exemplo, ajudam a preparar o solo para o desenvolvimento das plantas, tornando-o mais aerado, e as semeadoras agilizam o processo de plantio. Embora diversas ferramentas já tenham sido utilizadas pelo ser humano para produzir alimentos, o desenvolvimento da tecnologia traz cada vez mais possibilidades para a área.

Conheça as inovações tecnológicas do agronegócio e saiba como elas beneficiam a produção no campo.

Vantagens do uso dos implementos agrícolas

O uso de implementos agrícolas traz grandes vantagens para os negócios, que vão além do aumento da produtividade. Isso porque, ao realizar etapas da produção de forma bastante eficaz, máquinas e implementos promovem a redução de desperdícios, e, consequentemente, de custos.

Há, ainda, ferramentas que ajudam a reduzir os impactos ambientais causados pela atividade agrícola, fator que tem sido cada vez mais considerado pelos consumidores. Além disso, permitem que os produtores tenham melhores condições de trabalho, pois eles ficam menos expostos a agentes nocivos do ambiente. 

Apesar de oferecerem tantas vantagens, esses equipamentos devem ser escolhidos de forma correta para que o manejo do solo e das culturas traga os melhores resultados. A seguir, conheça os principais implementos agrícolas e saiba como eles são usados na agricultura.

Veja 4 dicas para otimizar a sua produção agrícola.

 Implementos agrícolas mais utilizados

 1. Arados

O arado é um dos equipamentos mais utilizados na preparação do solo. Formado por lâminas de metal, ele ajuda a escavar, cortar e revolver o solo, removendo as camadas compactadas que ficam em sua superfície. Dessa forma, torna a terra mais aerada e preparada para receber sementes, irrigação, adubos e outros insumos.

Sem ele, os agricultores teriam que usar ferramentas manuais para cumprir a etapa, o que demandaria muito mais esforço e tempo. Os arados podem ser de dois tipos: de aiveca e de disco.

Arado de aiveca

Com as lâminas em formato de “V” — as chamadas aivecas — o arado de aiveca permite o rompimento de camadas mais profundas do solo. Dessa forma, aumenta a capacidade do solo de incorporar os resíduos das colheitas. Ele ainda é mais leve, por isso exige menos força de tração. 

As aivecas podem variar bastante de acordo com as características e necessidades do solo. Por exemplo, em solos leves e arenosos, as mais curtas e com curvaturas maiores são mais indicadas, enquanto as com chapas recortadas são ideais para solos pegajosos por terem uma aderência menor ao solo.

Arado de disco

O arado de disco é formado por discos circulares que vão girando enquanto passam pelo solo. Assim,  têm mais força para trabalhar em áreas com cascalhos, galhos, raízes e outros elementos que dificultam o processo. Apesar de facilitar a movimentação da terra, a forma redonda acaba exigindo mais peso para que o equipamento penetre no solo.

Também existe uma grande variedade de arados de discos, que podem sofrer variações na quantidade e no tamanho das lâminas, além da largura do sistema como um todo.

2. Subsolador

O subsolador é outro implemento usado para a descompactação do solo. Ele é fundamental em áreas que têm a superfície da terra muito endurecida, seja por causa do transporte de máquinas muito pesadas, como caminhões e tratores, ou de outros processos de preparação do solo realizados em excesso.

O equipamento conta com hastes de 30 cm a 1,01 m, que diminuem a resistência do solo à inserção de raízes e à drenagem. Assim, ajuda a evitar o encharcamento e o escoamento superficial, reduzindo também o desperdício de água.

O que diferencia o subsolador do arado é o alcance de profundidades maiores, que o torna mais eficaz na descompactação do solo. No entanto, o implemento não pode ser visto como um substituto do anterior por não ser usado para revolver a terra. 

 3. Semeadora

A semeadora tem como principal função a introdução das sementes no solo, que acontece de acordo com o espaçamento, a densidade e a profundidade ideais para o desenvolvimento de cada cultura. O equipamento também é capaz de proteger as sementes, evitando que elas se danifiquem durante o processo de semeadura.

Com o passar do tempo, o implemento foi evoluindo e passou a realizar outras tarefas além da deposição das sementes. Uma delas é adubação do solo, feita pelas chamadas semeadoras-adubadoras

A grande vantagem é que o processo de adubação acontece ao mesmo tempo que o do plantio, fertilizando a terra que está em volta da semente. Ou seja, ambos os processos podem ser realizados com muito mais rapidez e menos esforços.

4. Pulverizador

A aplicação de produtos fitossanitários — substâncias químicas ou biológicas que ajudam a fazer o controle de pragas — e de fertilizantes é muito comum em grandes plantações. Isso porque esses produtos ajudam a proteger a lavoura contra doenças, insetos e pragas e  garantem que as plantas tenham todos os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.

Os implementos responsáveis por essa aplicação são os pulverizadores, que distribuem substâncias líquidas em pequenas partículas sobre as plantações. Assim, produtos químicos, fertilizantes ou nutrientes chegam nas quantidades certas para as necessidades de cada local.

Existem dois tipos de pulverizador que são mais utilizados:

  • atomizador: uma corrente de ar em alta velocidade permite a pulverização de produtos em grandes distâncias;
  • barra: equipamento que conta com uma barra e vários bicos para aplicação. Pode ser acoplado a um trator, cobrindo um grande espaço em pouco tempo.

 5. Roçadeira

A roçadeira, também conhecida como ceifadeira, é utilizada para aparar grama ou ervas indesejadas nas plantações. Com um conjunto de corte formado por cabeçotes e lâminas retas ou curvas, elas podem ser acopladas em tratores ou podem ser usadas manualmente, caso a limpeza seja feita em locais mais estreitos.

6. Rolo faca

Após a colheita, o solo deve ser preparado para outro ciclo de plantio. O rolo faca é um grande rolo de metal que fica conectado ao trator e, passando sobre o solo, faz a picagem dos restos de plantas que permanecem na área de produção. Assim, mata esses restos e impede que eles brotem novamente.

Além de reduzir o tempo entre um plantio e outro, o rolo faca também ajuda a aumentar a velocidade com a qual os nutrientes das plantas picadas são incorporados no solo.

Como encontrar os equipamentos certos

Máquinas e implementos agrícolas são fundamentais para garantir uma produção maior, mais rápida, com menos riscos para os trabalhadores e com menos danos para o meio ambiente.

Conhecê-los é o primeiro passo para otimizar a produção no campo, mas, para fazer bons investimentos, também é preciso ter atenção às características e necessidades de cada cultura, além de alguns fatores técnicos.

É importante levar em consideração o tamanho da plantação, as condições do solo e as práticas de colheita que serão adotadas. Também é necessário analisar custos e orçamentos e as condições das máquinas que funcionarão junto com os implementos, como os tratores que o produtor já possui. Assim, é possível encontrar equipamentos de qualidade, que sejam capazes de suprir todas as suas demandas.

Manutenção de equipamentos e estruturas