Em meio à pandemia, é necessário estar preparado para o que pode acontecer. Veja por que a gestão de crise é essencial e descubra como aplicar.

Os acontecimentos, que iniciaram em dezembro de 2019 e ganharam grandes proporções nos primeiros meses de 2020, têm sido inesperados, para se dizer o mínimo. Tensões políticas a nível mundial, incertezas e tragédias naturais têm transformado nosso cotidiano de uma maneira nunca esperada. O maior responsável por isso, claro, é o COVID-19, também conhecido como Coronavírus. 

A disseminação do vírus mudou o mundo inteiro de uma hora para outra, e estamos todos sentindo os impactos, diretos ou indiretos, em nossa rotina pessoal e profissional: eventos estão sendo adiados sem nova data definida, o trabalho remoto está sendo aplicado e incentivado pela maioria das empresas, e a responsabilidade social, com foco em doações, está ganhando forças rapidamente, entre inúmeras – e mais graves – outras consequências e preocupações. Entre as principais, está o futuro da economia e a sobrevivência dos negócios.

As empresas, de atuação local a nível global, também foram pegas de surpresa com a pandemia. Praticamente todas precisaram moldar seu modelo de atuação em tempo recorde, analisando novas maneiras de gerar lucros sem burlar as orientações de segurança da OMS (Organização Mundial de Saúde) e de diversos governos estaduais, para manter a segurança máxima de seus funcionários e fornecedores. Os empresários que melhor estão se adaptando ao crítico cenário atual são aqueles que já possuem um modelo consolidado de gestão de crise. Você sabe como isso pode fazer diferença nos seus negócios?

Acompanhe todas as ações da Ciser em relação ao COVID-19, no nosso Canal de Transparência.

O que é gestão de crise?

Crises fazem parte do dia a dia das empresas. Isto é: um acontecimento inesperado que causa impacto nos negócios e exige planejamento estratégico e rápido, que impeça possíveis danos e consequências negativas. Atualmente, vivemos uma das maiores crises econômicas e humanitárias do último século: pessoas não devem sair de casa, empresas não podem abrir as portas… Bem, e o que podemos fazer nessa situação?

“Em momentos de crise, só a imaginação é mais importante que o conhecimento”

— Albert Einstein

A ação ideal para resolver e, principalmente, prevenir problemas corporativos é implementar um plano de gestão de crise. Dessa maneira, a empresa deve se responsabilizar pela organização e monitoramento de uma equipe diversificada, formada por profissionais de diferentes áreas, com o intuito de identificar e solucionar possíveis crises com agilidade e eficiência.

O grupo, que pode e deverá contar com o apoio dos diretores da empresa, irá estudar a atual situação do mercado, analisar o acontecimento em questão, definir estratégias, decidir a melhor maneira de comunicá-las interna e externamente, e muito mais. Tudo com a capacidade de agir sob extrema pressão.

Como implementar uma gestão de crise?

Muitos empresários cometem o grande erro de delegar a tarefa de gerenciamento de crise inteiramente a uma assessoria de imprensa. Não se engane: um porta-voz, como um bom time de relações públicas, é fundamental para divulgar as ações delineadas e seus resultados, mas não é o responsável por defini-las. O próprio nome já informa: esse é um problema de gestão.

De maneira geral, a gestão de crise deve se guiar nos seguintes passos:

  1. Identificar o problema o quanto antes;
  2. Levantar informações relevantes sobre o caso;
  3. Definir ações de acordo com o plano de negócio da empresa;
  4. Interferir o mínimo possível na rotina de trabalho;
  5. Definir o tom da comunicação empresarial e os canais que serão utilizados (redes sociais, estratégia de comunicação interna, por exemplo);
  6. Também é recomendado estabelecer um manual de conduta interno, informando como os colaboradores podem se manifestar em relação à crise.

Além disso, é necessário estar preparado para descartar boatos e, se possível, conversar diretamente com os responsáveis ou afetados pelo problema. A área de relacionamento – como telemarketing, por exemplo – deve estar preparada e munida de informações para responder corretamente ao público e aos fornecedores, sem o risco de intensificar a crise.

Em relação à crise do COVID-19, especificamente, você pode se questionar:

  • “Quais áreas do meu negócio estão sendo diretamente afetadas?”;
  • “Quais soluções posso implementar para adaptar meu modelo de atuação ao cenário atual?”;
  • “Meu negócio está preparado para seguir as orientações de saúde impostas pelas autoridades?”;
  • “É possível impor um modelo de trabalho remoto na empresa?”;
  • “Como meu negócio pode ajudar a comunidade neste momento delicado?”;
  • “O mercado e os fornecedores serão informados sobre as mudanças que estou implementando no meu negócio? Se sim, como?”.

Esses são apenas alguns questionamentos iniciais que irão auxiliar você e sua equipe a guiarem o processo de adaptação da sua empresa em meio à pandemia. Com isso, já podemos identificar algumas oportunidades e transformações que estão se mostrando presentes em diversas empresas ao redor do mundo. Vamos a elas.

 O que mais podemos aprender com essa crise?

 

  • Responsabilidade social: a pandemia do COVID-19 mostrou às marcas que é necessário repensar qual é o seu papel na comunidade em que atua. Como sua empresa pode ajudar clientes e fornecedores nesse complexo momento? É possível ajustar temporariamente seus processos de produção para construir soluções sociais benéficas?
  • Tomada de decisões rápidas: crises não marcam hoje para acontecer. Por isso, é importante otimizar ao máximo o seu modelo de negócios, reduzindo burocracias desnecessárias, para agilizar a definição ágil de soluções para os problemas da sua empresa.
  • Trabalho remoto: o home office tornou-se uma alternativa essencial em situação de quarentena. E os negócios aprenderam seus benefícios! Uma pesquisa da SurePayRoll mostrou que 86% dos trabalhadores atingem produtividade máxima quando trabalham sozinhos e ⅔ dos gestores confirmam o dado. É possível aplicar esse modelo na sua empresa? Avalie e experimente.
  • De olho nas compras on-line: o sistema de compras via internet cresce exponencialmente a cada ano. E isso foi impulsionado ainda mais com a crise do COVID-19. Em apenas uma semana, os supermercados tiveram alta de 180% nas vendas on-line! WhatsApp, site, Facebook, Instagram: todos esses canais são ótimos para gerar vendas. Avalie o que mais se encaixa com o seu negócio e aproveite a oportunidade.

 

O vírus COVID-19 está transformando o mercado em grande escala – e, com isso, alterando todas as nossas expectativas de como seria o início desta nova década. O ano de 2020 iniciou com projeções de crescimento na economia, especialmente para as indústrias, e agora vive um momento de mudanças e incertezas.

O que podemos esperar do mercado quando a situação geral voltar a normalizar? Quais serão as perspectivas para os próximos meses e, até mesmo, o próximo ano? Veja o último levantamento que fizemos em relação às perspectivas de crescimento das indústrias.

Nanotecnologia