Entenda por que o setor industrial receberá mais investimentos em 2020 e saiba como as empresas pretendem atuar nesse cenário.

A indústria foi bastante afetada pela recessão econômica que vivemos no Brasil na última década. Entre 2014 e 2017, a produção industrial chegou a ficar 14 meses seguidos sem crescer, tornando o cenário preocupante para investidores. Nos últimos anos, porém, o setor tem apresentado grandes sinais de crescimento e tudo indica que surgirão grandes oportunidades para as empresas do ramo.

Um estudo da Confederação Nacional da Indústria  (CNI), divulgado em dezembro de 2019, traz dados otimistas sobre o desenvolvimento da indústria brasileira em 2020. Por exemplo, 84% das empresas de grande porte pretendem investir no setor neste ano — em 2016, o percentual era de 64%.

Neste artigo, conheça as perspectivas para a indústria em 2020 e entenda por que o setor deve receber mais investimentos no período. Boa leitura!

2019: um panorama do último ano

Antes de começarmos a falar sobre as possibilidades de crescimento da indústria em 2020, é fundamental que você tenha uma noção do estágio de desenvolvimento em que o setor se encontra. Por isso, vamos apresentar brevemente alguns acontecimentos e números do ano de 2019.

O crescimento da produção industrial não acompanhava a demanda de vendas no varejo, muito provavelmente pelo alto nível de estoque das empresas industriais. Hoje, com os estoques se aproximando do planejado, a perspectiva é que a produção industrial acompanhe a intensidade das vendas no varejo, conforme períodos anteriores. 

Prova disso é a queda na importância de “demanda interna insuficiente” como o principal problema enfrentado pela indústria segundo a Sondagem Industrial da CNI, podendo significar o aumento em investimentos de máquinas, estruturas, contratações, entre outros.

No ano, o percentual de investimento na indústria foi próximo ao registrado nos três anos anteriores: três em cada quatro grandes indústrias pretendiam investir no setor. No entanto, a frustração dos planos de investimento foi menor no último ano em comparação com os anteriores. A realização de investimento de acordo com os planos das grandes empresas foi o maior desde 2010, chegando a 64%, e 34% das organizações conseguiram realizar seus planos de investimento parcialmente.

Esse indicador é muito importante, pois a frustração é um fator que gera mais custos e diminui a confiança das organizações quando o assunto é investir. Por isso, em 2020 o esperado é que mais empresas estejam dispostas a manter e ampliar seus investimentos.

Apesar de ter sido menor que nos outros anos, a frustração dos planos de investimento em 2019 foi devida à redução de demanda e ao aumento inesperado dos custos para investir, além de falta de recursos e problemas financeiros enfrentados por muitos empresários.

Outro entrave para a realização dos investimentos conforme o planejado foi a dependência de recursos próprios. No último ano, embora a participação de bancos comerciais privados tenha sido uma das maiores já vistas, ela chegou a apenas 14%. Ou seja,  aproximadamente três quartos dos valores investidos vieram das próprias empresas.

Leia também: Indústria 4.0 no Brasil: oportunidades e desafios.

2020: perspectivas da indústria

Como você já sabe, em 2019 a indústria passou por um período de crescimento, apesar de ainda precisar lidar com algumas questões. Em 2020, a expectativa é que os investimentos no setor continuem crescendo: o percentual de grandes empresas que pretendem investir é 84%, e este é o maior percentual desde 2014. A confiança e o aumento em investimentos ainda podem ser potencializados pela Reforma Tributária, que é considerada como prioridade pelo congresso neste ano.

Mas como os investimentos ajudam a indústria a se desenvolver? Eles colaboram para tornar o setor mais competitivo, trazem melhorias para a infraestrutura do país, a atualização de máquinas e equipamentos e geram conhecimento ao permitir a introdução de novos produtos e novas tecnologias.

Nesse contexto, as notícias são bastante otimistas. Ainda segundo a Confederação Nacional da Indústria, o crescimento previsto para a economia brasileira em 2020 é de 2,5%. É esperado que a atividade econômica seja impulsionada pelo aumento de 2,8% do PIB industrial e pelo aumento de 6,5% dos investimentos.

Além disso, há sinais de que os fatores responsáveis pela frustração dos planos de investimento em 2019 tendem a perder força. 

Mais confiança para investir

Você já sabe que a perspectiva é que mais empresas invistam na indústria em 2020. Uma das principais razões para isso é o aumento da confiança do empresário. Mas o que isso significa? Em janeiro de 2020, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) subiu um ponto em relação a dezembro de 2019, chegando a 65,3. O indicador chegou ao seu maior número desde junho de 2010, alcançando 10,5 pontos acima da média histórica.

O ICEI vai de zero a cem pontos quanto maior o número, maior a confiança dos empresários para fazerem investimentos. Ao passar de 50, o indicador apresenta um resultado positivo para a indústria, apontando mais chances de que ela receba investimentos.

O índice é composto por outros dois, o Índice de Condições Atuais e o Índice de Expectativas. Em janeiro, ambos apresentaram variações positivas: o Índice de Condições Atuais chegou a 59 pontos, sofrendo um aumento de 0,9, e o Índice de Expectativas subiu um ponto, alcançando 68,4. Isso significa que o aumento do otimismo foi provocado não só pelas expectativas para os próximos meses, mas também pelo sentimento de melhora da situação econômica atual. 

Perfil dos investimentos

Com a recuperação após a crise, o consumo vem aumentando no mercado nacional. Para atender à crescente demanda, a indústria brasileira precisa garantir qualidade e se tornar mais competitiva. Por isso, o principal objetivo dos planos de investimento de 2020 é, segundo a pesquisa da CNI, a busca por mais eficiência e produtividade.

O principal objetivo dos planos de investimento de 36% das empresas é conquistar melhorias nos processos produtivos e 23% querem, principalmente, aumentar a capacidade da linha de produção. A maioria dos investimentos previstos (67%) tem como principal objetivo a aquisição de máquinas. Desse total, 12% planejam investir na compra de equipamentos usados. 5% das empresas querem fazer a introdução de novos processos produtivos.

Embora a maior parte dos investimentos seja voltada para o mercado doméstico, muitas organizações já estão se preparando para investir no mercado externo — que receberá mais atenção em comparação com o ano de 2019. Enquanto os planos de investimentos direcionados apenas para o mercado interno diminuíram, caindo de 26% para 20%, os voltados para os mercados interno e externo aumentaram de 25% para 36% em um ano. 

Essa mudança é bastante significativa para o setor, que pode colher grandes benefícios ao se envolver com mercados externos, como obter estímulos para a competitividade e a inovação.

Apesar de ter sido o setor mais afetado pela crise financeira, a indústria brasileira tem se recuperado bem nos últimos anos e, se tudo seguir tal como planejado, os indicadores mostram que ela continuará crescendo. Com um cenário econômico mais estável, as perspectivas para 2020 são bastante otimistas, com mais investimentos, competitividade e novas oportunidades.

Agora que você já conferiu pesquisas de investimento na indústria e sabe o que esperar do setor industrial em 2020, conheça o perfil da indústria brasileira e saiba qual o impacto desse setor na economia.

Nanotecnologia