Conheça financiamentos que viabilizam a compra e a instalação de sistemas solares fotovoltaicos.

Por trazer grandes vantagens para o consumidor e para o meio ambiente, a energia solar vem ganhando, ano após ano, mais espaço na matriz energética brasileira. No entanto, para colher os principais benefícios dessa fonte renovável — sustentabilidade e economia financeira a médio e longo prazo —, é preciso fazer um investimento inicial relativamente alto.

Embora esse valor seja recuperado posteriormente, com a redução da conta de luz, ele é um dos principais entraves para quem pretende começar a gerar a sua própria energia. Se esse for o seu caso, temos uma boa notícia: hoje, vários bancos já oferecem modalidades de financiamento específicas para a aquisição e a instalação dos painéis fotovoltaicos.

Neste texto, você vai conhecer algumas das principais opções de financiamento para energia solar disponíveis.

Qual o valor da instalação da energia solar?

Um sistema de energia solar residencial custa, em média, R$ 15 mil a R$ 25 mil, considerando a aquisição do equipamento e a sua instalação. Apesar da queda dos preços dos equipamentos, vista nos últimos anos, em residências maiores ou estabelecimentos que precisam gerar uma quantidade maior de energia, esse valor pode ser maior.

Apesar do alto valor, a estimativa é que a produção de energia fotovoltaica gere uma economia de até 95% na conta de luz de residências, permitindo que o investimento inicial seja recuperado em cerca de 3 a 6 anos — o período vai variar de acordo com a tarifa de cada estado e a capacidade de geração no local.

O sistema de energia solar, geralmente, tem uma vida útil aproximada de 25 anos, prometendo uma economia bastante expressiva.  Mas atenção: Em 2019, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou uma nova proposta de reajuste regulatório para a geração distribuída. Portanto, as regras que isentam o produtor doméstico de alguns encargos podem mudar.

Como financiar um sistema de geração de energia solar?

Quem deseja começar a produzir energia a partir de fontes renováveis pode contar com o auxílio de empréstimos voltados especialmente para a aquisição e a instalação dos equipamentos necessários. Conheça os principais deles a seguir.

 Banco do Brasil

Uma opção para a geração da própria energia a partir da luz do sol são as várias linhas de crédito oferecidas pelo Banco do Brasil, que prometem juros e prazos atrativos para pessoas físicas e empresas urbanas e rurais.

Com o objetivo de viabilizar projetos que tragam eficiência energética e Hídrica, os empréstimos financiam a compra e a instalação não só de placas solares, mas de outros equipamentos que colaboram para a redução e o uso eficiente da eletricidade e da água, como energia eólica, motores, iluminação, reguladores e sistemas de reuso e tratamento de água.

Conheça as modalidades de financiamento disponíveis no site do Banco do Brasil.

BNDES

No caso do BNDES, os financiamentos são concedidos especificamente para pessoas jurídicas, como empresas e agronegócios, por meio do programa FINAME.

As linhas de crédito cobrem 100% dos custos de aquisição e comercialização de equipamentos para geração de energia solar e eólica, incluindo o valor do serviço de instalação. O prazo de pagamento pode chegar a 10 anos e a carência a até 2 anos.

Saiba mais sobre a modalidade no site do BNDES.

Bradesco

Por meio da linha Crédito Direto ao Consumidor (CDC), o Bradesco oferece crédito para que seus correntistas, sejam eles empresas ou pessoas físicas, façam a compra e a instalação de sistemas fotovoltaicos conectados à rede.

O financiamento cobre até 100% dos custos e permite o pagamento em até 60 parcelas, com carência de até 60 dias para o primeiro pagamento.

Conheça a modalidade no site do Bradesco.

 Banco da Amazônia

Com a missão de “desenvolver uma Amazônia sustentável com crédito e soluções eficazes”, o Banco da Amazônia (BASA) disponibiliza, entre suas soluções financeiras, empréstimos para a compra de sistemas solares fotovoltaicos. O crédito é voltado para dois públicos-alvo: pessoas físicas, que se beneficiam do consumo residencial, e empresas da região Norte.

Para residências, o financiamento da energia solar pode cobrir até 100% do valor do projeto, tem o prazo de 15 anos para pagamento e até 4 anos de carência. A taxa de juros varia de acordo com o porte do cliente, a sua análise de crédito e a finalidade do empréstimo.

Para empreendimentos rurais, o empréstimo também pode cobrir até 100% dos gastos, mas o período de carência pode chegar a 12 anos, variando de acordo com a capacidade de pagamento do negócio.

Saiba mais sobre as modalidades no site do Banco da Amazônia.

Como você descobriu neste texto, existem muitas opções para quem pretende começar a produzir a sua própria energia de forma limpa — e obter economia com isso.

Agora que já você já conhece algumas linhas de financiamento de energia solar, aproveite para saber mais sobre o processo de instalação do equipamento em nosso Guia de boas práticas para a instalação de painéis solares.

Entenda tudo sobre a RN 482