Entenda o funcionamento do sistema de energia solar fotovoltaica e saiba como ele é usado em residências e estabelecimentos. 

Mais sustentável e mais barata para o consumidor a longo prazo, a energia solar tem sido cada vez mais usada no Brasil e no mundo.

A expectativa, segundo a Agência Internacional de Energia (IEA), é que a capacidade de energia renovável se expanda em 50% até 2024, sendo liderada pela energia solar fotovoltaica. No Brasil, o primeiro trimestre de 2020 registrou o recorde de 200 mil conexões de geração distribuída solar fotovoltaica

Desde 2012, com a resolução 482 da ANEEL Agência Nacional de Energia Elétrica, pessoas e organizações podem gerar a sua própria energia elétrica e trocar o excedente com a distribuidora local. Embora essa possibilidade seja conhecida por muitos, ainda existem dúvidas sobre como funciona a energia solar. 

Saiba mais sobre a resolução da ANEEL e conheça as últimas mudanças na legislação.

Neste artigo, vamos apresentar os tipos de energia solar disponíveis, explicaremos como funcionam os sistemas e a geração doméstica. Esperamos que as informações sejam úteis e ajudem na escolha da melhor opção para você.

Tipos de energia solar

Existem diferentes tecnologias que permitem a geração da energia pelo próprio usuário, e é comum que surjam dúvidas sobre as diferenças entre elas. Por isso, em primeiro lugar, vamos apresentar os tipos de energia solar mais utilizados em casas e comércios.

Energia fototérmica

A energia fototérmica é capaz de captar o calor do sol e o transferir para outro meio, que normalmente é a água. Ela é muito utilizada para produzir água quente em residências, para o banho, ou em processos industriais. 

Os sistemas de energia fototérmica, os famosos aquecedores solares, são formados por duas peças principais. A primeira são os coletores solares térmicos, placas de aquecimento que captam o calor do sol e aquecem a água em seu interior. Essa água fica armazenada em um reservatório que mantém a sua temperatura até o momento do uso.

Embora nos dias nublados o aquecedor tenha a sua capacidade reduzida, eles podem diminuir significativamente o consumo de eletricidade para o aquecimento da água.

Energia fotovoltaica

A energia fotovoltaica é capaz de converter os raios do sol em eletricidade. Ela utiliza  células fotovoltaicas, normalmente feitas de silício, para a geração de energia elétrica. A eletricidade produzida pode ser usada para o funcionamento e o carregamento de aparelhos eletrônicos, para a iluminação e o banho em uma residência, por exemplo.

Os sistemas são conectados à rede elétrica, permitindo o uso de energia convencional, caso seja necessário, e o compartilhamento do excedente com a distribuidora local. Por oferecer mais possibilidades, a energia fotovoltaica tem sido bastante procurada pelos consumidores. A seguir, você vai entender melhor como ela funciona e como pode ser usada. 

Como funciona a energia solar fotovoltaica

A energia solar é gerada a partir dos famosos painéis fotovoltaicos, que captam a luz e o calor do sol. Mas como eles funcionam?

As células dos painéis são fabricadas em materiais semicondutores, principalmente o silício. Quando as partículas de luz solar, conhecidas como fótons, incidem sobre a célula, elas colidem com os átomos do material e provocam um deslocamento dos seus elétrons. Assim, são criadas as correntes que geram a eletricidade.

Quanto mais luz direta o painel solar recebe, mais energia ele gera. É por essa razão que os sistemas costumam ser instalados em telhados, onde a iluminação é maior e há menos interferência de sombras. A capacidade de produção pode variar de acordo com a localização, inclinação e potência do equipamento.

E à noite ou em dias nublados, há energia suficiente?

Uma dúvida muito comum é como a energia solar funciona quando há pouca luz ou quando não há iluminação disponível. Ao contrário do que muitos imaginam, o sistema fotovoltaico pode, sim, gerar energia em dias nublados, apesar de em uma quantidade menor.

Durante a noite, o quadro é outro: não há geração de energia. Os usuários podem, então, optar por conectar o seu sistema à rede elétrica e utilizar a eletricidade convencional apenas no período noturno. Outra opção possível é adquirir uma bateria que armazene essa energia, mas esses produtos costumam ter um preço bastante elevado.

Como funciona a energia solar residencial

Para que a energia solar possa ser usada em residências e estabelecimentos, é preciso contar com um inversor solar. Isso porque é o equipamento que converte a energia dos painéis de corrente contínua (CC) para corrente elétrica alternada (CA), permitindo que a corrente das células seja usada para fins diversos.

A energia que sai do inversor vai direto para um quadro de distribuição de energia, que a envia para o imóvel onde ela será utilizada. Com a geração de energia, o usuário pode reduzir bastante a quantidade de energia proveniente de distribuidoras e, como consequência, diminuir o valor da sua conta de luz

Se a energia gerada não for toda consumida, a sobra ainda pode ir para a rede da concessionária e ser repassada para outros usuários. Nesse caso, quem gerou a eletricidade recebe créditos para economizar nas contas futuras.

É importante lembrar que, para usufruir desse benefício, é preciso fazer a homologação da energia solar na concessionária de energia, solicitando a conexão do sistema fotovoltaico à rede. O processo é mais simples do que se imagina: basta fazer a solicitação e enviar o projeto do sistema para análise antes do início da sua instalação. 

O projeto terá, então, o prazo de 120 dias para ser concluído e deverá receber a vistoria de um técnico para que a sua ligação seja autorizada.

Agora você já entende como funciona a energia solar e sabe como ela pode ser usada em residências e outros estabelecimentos. Se está considerando investir nessa opção, aproveite para conhecer algumas das suas vantagens e saiba se vale a pena ter um sistema de energia solar.

Panorama da Geração Distribuída no Brasil