Confira as mudanças que estão acontecendo no cenário nacional e como elas influenciam diretamente no dia a dia das empresas de energia solar.

A crise continua. Desde 11 de março de 2019, quando a pandemia da COVID-19 foi decretada pela  Organização Mundial de Saúde, as empresas foram obrigadas a rapidamente se adaptarem ao novo e conturbado cenário global. As empresas de energia solar, claro, não ficaram de fora.

A chegada do coronavírus no Brasil impactou diretamente o futuro do segmento, que tinha grandes perspectivas de crescimento para os próximos anos. De acordo com um estudo da Greener, com 541 empresas brasileiras, 71% dos entrevistados relataram ter perdido oportunidades de negócios. A oscilação na economia nacional durante o período também causou impactos diretos: a mesma pesquisa apontou que 49,2% dos participantes notaram aumento no custo dos equipamentos necessários para um sistema fotovoltaico, devido à alta do dólar.

Veja também: ”Geração Distribuída: 4 tendências do mercado de energia solar”

Outro grande impacto da pandemia no mundo corporativo foi o adiamento de eventos presenciais devido à necessidade do isolamento social, fortemente recomendado por autoridades da saúde como medida de contenção à disseminação do vírus. O principal exemplo se deve ao Fórum GD | Fórum Regional de Geração Distribuída, um dos maiores e mais esperados eventos voltado a empresas de energia solar no Brasil – o encontro aconteceria em março de 2020, mas foi remarcado o mês de julho. O futuro da energia solar teve que ser adiado.

Energia solar como alternativa à crise

Negócios de todos os setores estão sofrendo. Em pesquisa feita pelo Sebrae, das mais de 6 mil empresas entrevistadas, 87% registraram queda no faturamento mensal e 30% tentaram obter crédito desde o início da crise. E acredite: gerar sua própria energia solar é uma ótima alternativa para superar a crise!

O uso de painéis fotovoltaicos pode reduzir os custos com energia elétrica em até 95%, valor que pode ser aplicado pela empresa para retomar seu crescimento e, até mesmo, gerar novos empregos. Atualmente, há mais de 70 linhas de financiamento para negócios que desejam adotar o modelo de geração de energia solar.

Os efeitos da pandemia demandaram novos incentivos do governo, que logo determinou ações para auxiliar consumidores e empresários nesse momento delicado. Conheça agora as principais atitudes e seus impactos no setor de energia solar fotovoltaica.

 Mudanças nas medidas regulatórias

Para ajudar a impedir a disseminação do coronavírus e garantir a total segurança de profissionais de concessionárias de energia e de seus clientes, a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) determinou, ainda no fim de março, um conjunto de medidas para alterar temporariamente a atuação das empresas de distribuição. As normas possuem um prazo inicial de 90 dias, podendo ser prorrogadas, e impactam diretamente no atendimento aos consumidores e às empresas de energia solar. Veja as principais:

  • Suspender os prazos para a solicitação de ressarcimentos por danos em equipamentos, para impedir a visita de técnicos durante a pandemia;
  • Permitir a suspensão da entrega da fatura mensal impressa, que deverá ser disponibilizada de maneira eletrônica (faturas ou código de barras);
  • Permitir que as distribuidoras realizem leituras do consumo de energia em intervalos diferentes ou, até mesmo, que não realizem a leitura. Quando não houver leitura, a fatura será feita com base na média do consumo de energia nos últimos 12 meses;
  • Disponibilizar meios para que o consumidor possa informar de maneira precisa a autoleitura do medidor, caso não deseje receber o faturamento pela média;
  • Vedar a suspensão do fornecimento por inadimplência de unidades consumidoras residenciais urbanas e rurais, além de serviços e atividades consideradas essenciais, conforme a legislação;

Todas as medidas foram determinadas de acordo com as recomendações de saúde da Organização Mundial de Saúde.

 Redução do valor da conta de luz

Se, por um lado, os equipamentos tornaram-se mais caros devido à alta do dólar, os consumidores ao menos foram recompensados com a redução da tarifa social em contas de luz. A proposta da Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar) consiste em isentar, por 3 meses, a cobrança de energia elétrica sobre consumidores cadastrados no programa Tarifa Social. Para isso, o orgão repassou R$ 538 milhões às distribuidoras de energia para cobrir o valor dos descontos, que serão de 100% em faturas de até 220 kWh/mês.

Além disso, a Absolar também elaborou o projeto emergencial para incentivar a instalação de painéis fotovoltaicos em lares de pessoas de baixa renda, como resposta à crise econômica decorrente da pandemia. Parte do valor investido pelo governo em ambos os projetos, que totaliza mais de R$ 1 bilhão, será revertido na instalação de 87,5 mil novos painéis solares.

 Construção de usinas solares adiada

O surgimento de novas usinas solares fotovoltaicas no país também teve que ser repensado. O projeto de Parceria Público Privada (PPP), no Piauí, definia a construção de 8 miniusinas no estado, com capacidade de 5MW. Devido ao aumento rápido e considerável no número de casos de COVID-19, o prazo para as entregas das propostas ao projeto foi adiado.

A previsão do governo é que a instalação das usinas solares garanta a economia de R$ 580 mil por mês, em média, na distribuição de energia no estado – até $ 7 milhões por ano! Para isso, R$ 175 mihões seriam inicialmente investidos por empresas de energia solar.

Canais para se manter atualizado

A Agência Nacional de Energia se mantém em constante atuação para identificar dificuldades dos consumidores e empresas de energia solar durante a pandemia, definindo e aplicando novas atitudes para amenizar os impactos do coronavírus no seu dia a dia. O órgão atualiza em seu site todas as medidas aprovadas, que podem ser analisadas de maneira transparente.

A Ciser também possui um Canal de Transparência on-line em que compilamos nossas principais atitudes para ajudar a minimizar os impactos do coronavírus no dia a dia, sempre prezando pela saúde máxima de nossos colaboradores. Inspire-se e tente aplicar alguma delas na sua empresa de energia solar

Quer saber como a sua empresa pode se adaptar a esse novo cenário? Para isso, podemos utilizar estratégias de gestão de crise para também identificar novas exigências do mercado de trabalho diante da pandemia: trabalho remoto, rápida tomada de decisões, entre outras.

Confira o nosso conteúdo completo sobre o assunto e identifique como você pode fazer a gestão de crise do seu negócio.

Boas Práticas para a Instalação de Painéis Solares