Entenda para que serve a numeração que encontramos gravada na cabeça do parafuso e saiba como interpretá-la

Você já deve ter percebido alguns números gravados na parte superior das cabeças dos parafusos. Mas para que eles servem? Essa marcação indica a classe de resistência das peças, informando a carga a que elas podem ser submetidas.

Essa informação indica os fixadores mais adequados de acordo com o grau de responsabilidade de um projeto. Por exemplo, em equipamentos que têm muita vibração, parafusos com baixo grau de resistência devem ser avaliados.

A classe de resistência de parafuso é um dado técnico muito importante para a escolha das peças certas. Para ajudar você a usá-la, neste artigo explicaremos melhor o que ela é, falaremos sobre os significados dos números e daremos alguns exemplos de classes.

O que é classe de resistência de parafuso

A classificação de resistência é uma numeração que indica a resistência à tração, ruptura e escoamento de um parafuso. Ela é indicada por dois números que, de acordo com a norma ISO 898 parte 1, devem ser gravados na superfície da cabeça dos parafusos de forma legível a critério do fabricante.

Quanto mais alto o número gravado, maior é a resistência do produto. Quanto menor for a classe de resistência, menor é a capacidade de resistência e maior é a ductilidade do fixador — ductilidade é a capacidade que o material tem de se deformar até se romper no processo de aperto. Sendo assim, peças mais dúcteis têm maior capacidade de alongamento, porém, menor será a sua capacidade de gerar força.

Dica importante: Se no seu projeto, o parafuso precisar de uma resistência maior, é imprescindível atentar-se à especificação da classe de resistência e ao número gravado na superfície dos parafusos. 

Quando parafusos são apertados, excessivamente, eles podem sofrer deformações nos filetes de roscas, podem alongar e, até mesmo, fraturar. Para evitar que isso aconteça, é definido valores de torque de apertos, levando-se em consideração a bitola e a classe de resistência dos produtos. Como forma de garantir estas especificações, recomenda-se a utilização de torquímetros, ferramenta de aperto controlado, para montagem de parafusos.

Leia também: Os principais tipos de parafuso.

Como entender a marcação

Você já sabe que a classe de resistência é indicada por dois números. Mas o que eles significam? O primeiro número, que está à esquerda, define o limite de resistência a tração à ruptura; e o segundo informa o percentual do limite de escoamento a tração, ambas em N/mm².

Para que você entenda a marcação, é importante compreender primeiro alguns conceitos. O primeiro deles é o limite de Tensão de Tração a Ruptura: neste caso, o parafuso aplicado com força de aperto (produzida pelo torque de aperto), além deste limite de resistência, poderá romper-se. Outra importante consideração está relacionada ao limite de resistência a alongamento. Nesse caso, caso seja superado esse limite, o parafuso sofrerá deformações permanentes, provocando afrouxamentos nas juntas. Para evitar que tais limites sejam superados, a CISER disponibiliza tabelas de orientação de valores de torque de aperto, definidos em função das bitolas e classes de resistências dos produtos.

Estas classes de resistência são especificadas com dois números. Como exemplo: 10.9

O primeiro número (10), multiplicado por 100, define a resistência de tração a ruptura em N/mm², sendo então 1000 N/mm². O segundo número, acrescido do ponto (.9) multiplicado por 1000, representa o valor de limite de escoamento nominal em N/mm², neste caso 900 N/mm².

Embora a classe de resistência defina os valores de torque máximo que os fixadores (parafusos, hastes, prisioneiros, etc.) são capazes de suportar, a quantidade de força (tração e torção) que pode ser aplicada às peças também varia de acordo com o diâmetro dos parafusos e os seus materiais de junção. Por isso, é importante é importante entender a função do diâmetro e sempre consultar o manual do fabricante do equipamento para saber a aplicação ideal dos materiais.

Imagem ilustrativa cabeça do parafuso, ilustrando o que signica as marcações na cabeça dele.

Diferenças entre as classes de resistência

Como você já sabe, os parafusos têm classificações de resistência que ajudam a escolher as peças ideais para cada tipo de aplicação. Na indústria em geral, por exemplo, os parafusos mais utilizados são das classes 4.8, 5.8, 8.8, 10.9 e 12.9.

Há também diferenças entre as classes que contam com materiais e tratamentos distintos. Os parafusos de classe 4.8, 5.8 e 6.8 não recebem tratamento térmico de têmpera e revestimento e costumam ser produzidos em aço de baixo ou médio teor de carbono, enquanto os de classe 8.8, 10.9 e 12.9 precisam desse tratamento em teor de carbono e são fabricados com aço ligado, ou de médio teor de carbono.

A classe de resistência de um parafuso é uma informação técnica muito importante, principalmente quando chega a hora de escolher os fixadores ideais para um projeto. Peças de resistência adequada são fundamentais para garantir a segurança das instalações, evitando que os parafusos sejam danificados, ou haja alteração no comportamento da ligação. Por isso, não deixe de prestar bastante atenção na classe utilizada!

Quer continuar aprendendo sobre fixadores? Saiba tudo sobre normas e padrões de especificação de parafusos.

A Fantástica Fábrica de Fixadores