Os veículos elétricos, autônomos e compartilhados ganham cada vez mais espaço na indústria automobilística. Saiba mais sobre essas e outras tendências do setor.

A indústria automobilística é responsável por projetar, desenvolver, fabricar e, por fim, vender veículos automóveis, auxiliando na locomoção de toda a sociedade. No Brasil, ela surgiu no início do século XX, a partir de grandes empresas como a Ford e General Motors.  

Desde então, o setor já evoluiu muito, aumentando a qualidade dos materiais, inovando em suas técnicas de fabricação e dando origem a algumas das principais tecnologias de todo o setor industrial. 

Com o desenvolvimento da Indústria 4.0, que trouxe processos interligados e digitalizados também para outros setores, a indústria automobilística continua progredindo, principalmente para se adaptar à demanda de consumidores que estão cada vez mais exigentes, imediatistas e conscientes em relação à preservação do meio ambiente.

A partir disso, algumas tendências estão surgindo na indústria brasileira, incluindo, é claro, a indústria automobilística. Confira a seguir as principais delas:  

 Carros elétricos

Os carros elétricos funcionam a partir de uma bateria recarregável que armazena energia elétrica. Diferente dos veículos movidos a combustíveis fósseis como petróleo, gás e carvão, eles não emitem gases poluentes e são mais silenciosos, proporcionando mais conforto ao motorista e passageiros. Além de mais sustentáveis, os modelos também são mais econômicos.

Apesar de todas as suas vantagens, os carros elétricos ainda são pouco comuns no Brasil, o que pode ser explicado pela baixa quantidade de modelos disponíveis, alto preço de aquisição e poucas opções de postos para recarga essenciais em trajetos mais longos. Com o passar do tempo, a tendência é que surjam novas opções no mercado.     

 2. Carros autônomos

Uma tendência um pouco mais distante, os carros sem motorista podem até parecer coisa de filme, mas a realidade é que essa tecnologia já está em fase avançada de testes, principalmente em outros países, como Alemanha e Estados Unidos. Além de depender da alta qualidade de conexão e garantir a segurança de passageiros e pedestres, os carros autônomos também precisam de uma legislação específica para poderem circular pelas ruas e estradas.

A ideia é que as pessoas possam aproveitar o tempo em que estariam dirigindo para fazer outras atividades durante o percurso, como trabalhar e estudar, sem maiores preocupações com o trânsito. Também existem os modelos que não são desenvolvidos para o transporte de passageiros, mas sim para a entrega de pedidos de comida.   

 3. Carros compartilhados

Os carros compartilhados estão se tornando cada vez mais populares, inclusive no Brasil. Eles ficam disponíveis através de aplicativos, que permitem alugar o veículo por hora ou dia, emprestando em determinado ponto e devolvendo em outro. A frota pode ser da própria empresa responsável ou de pessoas que disponibilizam seu carro para garantir uma renda extra. 

Para quem aluga, a vantagem está em economizar com os custos de adquirir e manter um automóvel próprio, como seguro, combustível e manutenção. A iniciativa também é vantajosa para a natureza, já que diminui o número de carros no trânsito e porque boa parte dos veículos compartilhados são elétricos ou híbridos. Esta é uma tendência de comportamento dos usuários que a indústria automobilística pode levar em consideração para inovar na fabricação deste tipo de carro, oferecendo soluções voltadas para o compartilhamento de veículos.

 4. Conectividade

Em um mundo cada vez mais conectado, é natural que os carros também se tornem assim. A Internet das Coisas (IoT) só tende a evoluir e interligar os veículos, seja ao smartphone, objetos e até mesmo a outros automóveis. 

Dessa forma, as informações sobre o clima, localização, rotas e até problemas com o veículo devem ser muito mais instantâneas e precisas, gerando mais praticidade e segurança para o condutor e passageiros. Por isso, é essencial que o carro esteja preparado para se conectar com os celulares, assistentes pessoais como a Alexa da Amazon e as demais tecnologias que podem surgir.  

 5. Foco no consumidor

O comportamento dos consumidores está mudando e muitos deles estão repensando a necessidade de ter um veículo próprio, seja pelo aumento do trabalho remoto que reduz a obrigação de deslocamento diário ou por haver mais opções de transportes alternativos, como aplicativos de caronas, que algumas vezes se tornam mais baratos do que ter e manter um carro, além de serem mais sustentáveis.

Sendo assim, é muito importante que a indústria automotiva esteja por dentro de todas as mudanças de comportamento do usuário, entendendo que o momento atual e os hábitos devem guiar as iniciativas e novidades, com foco em oferecer as melhores soluções para o consumidor. Afinal, a partir de agora, todas as tecnologias serão desenvolvidas como consequência de uma empresa que tem o consumidor como centro de tudo. 

Estas são algumas das principais tendências para o setor automotivo. Ao conhecê-las, fica mais fácil para a indústria automobilística considerar e aplicar inovações não apenas em carros, mas em máquinas agrícolas, caminhões e ônibus. Aproveite para conhecer também 12 segmentos de cobertura dos parafusos Ciser e saber como podemos ajudar.

Produtos mais vendidos na Ciser